Cabo Verde



Já foi há cerca de três meses atrás que fui a Cabo Verde, mas só agora é que me sentei e com calma editei as fotografias que por lá tirei.
Com o Inverno ao rubro por aqui, fui recarregar energias até à ilha da Boavista em Cabo Verde. Que boa maneira de começar o ano, não é?
A viagem de avião foi super tranquila e como é relativamente curta, não custa nada. É, por isso, um bom destino paradisíaco para quem não gosta de
viajar para muito longe.

Nos primeiros dias, apanhei um céu encoberto e chegaram a cair algumas pingas de chuva. Nada de muito grave, mas que não puxava o pessoal para a
praia. Ao invés, as pessoas juntavam-se em redor da piscina do hotel e juntas divertiam-se com as actividades que o grupo de animação do hotel
proporcionava. Foi muito giro.























Para conhecer melhor a praia que estava mesmo ali ao nosso dispor, fiz uma valente caminhada que nos deixou a todos a suar e a desejar um bom sumo de
frutas fresquinho.


Em todo o hotel havia animais. Ora passarinhos que nos pediam permissão para comer uma migalhinha do nosso almoço, ora gatos que andam pelo meio 
das pessoas como só eles o sabem fazer. Deitados nas espreguiçadeiras ao pé da piscina ou no meio dos arbustos À sombra. Uma delicia para mim, que
tanto adoro gatos. Todos eles eram muito simpáticos e aprecia que tinham o objetivo de entreter as pessoas e receber os novos hóspedes. 





A meio da semana, fomos de buggy conhecer o centro da cidade. 
Como estava com um espírito aventureiro, decidi ir na parte de trás do buggy. Andamos pelas dunas de areia e pelas ruas, que não são alcatroadas, todos 
aos trambolhões. Eu de câmara na mão a disparar e a temer que a câmara me voasse das mãos. Foi muito divertido. Escusado será dizer que muitas fotografias ficaram todas tortas, mas eu até gostei do resultado. Assim, sem serem totalmente pensadas, aqui ficam algumas fotografias do centro da cidade e das 
pessoas simpáticas e queridas que nos receberam.


































(esta senhora estava na rua a arranjar um atum enorme, talvez para o seu jantar)

As casas são muito coloridas e arranjadinhas. Apesar de ser um povo pobre, reparei que as casas estavam cuidadas. Apanhamos as crianças a saírem das
escolas, com os uniformes. Foi muito giro.

Mal estacionamos os buggys para tirarmos fotografias no deserto, apareceram logo uns senhores com a pressa de nos venderem bijuteria, obras de arte em madeira e quadros de tinta e areia.




 (cemitério da ilha)


Acabamos por ir dar a uma praia. Nesta altura do dia, o céu já estava limpo e o sol queimava.




Este barco, preso ali no areal, está lá há dezenas de anos e é de facto incrível. É enorme e assim que ficou ali preso, nunca mais saiu. Agora já faz parte dos roteiros turísticos. É como se fosse um monumento histórico.



A praia é linda e tem um areal enorme. As férias acabaram com um céu limpo e o sol a tostar.
Gostei muito de Cabo Verde e quem sabe um dia volte, talvez a outra ilha.

kiss kiss

4 comentários: